Moacyr Luz, o fundamental menestrel que reacendeu as rodas de samba


Lais Amaral Jr e Moacyr Luz - crédito da foto: Ricardo Paiva

Sexta passada, dia 19, o canal do Circo Voador no Youtube, exibiu o show de 15 anos do Samba do Trabalhador, a oportuníssima sacada do Moacyr Luz. Foi o último evento do ‘Circo’ antes da pandemia deitar as asas sobre nós. O último show com público no Rio antes da tragédia sanitária. Junto, o lançamento do álbum ‘Fazendo Samba’ com a participação de Toninho Gerais, Roberta Sá e Marcelo D2.


Moacyr Luz é um dos meus ídolos. E por conta de um desses acasos, vá entender, estive com ele pela primeira vez em Resende, onde moro há tempos. Era um dia comum de semana e eu fora à rodoviária comprar uma passagem não me recordo pra onde, quando vi o sujeito lá na frente. Cabelos longos, rosto largo e de mochilas às costas. Num rompante me aproximei e indaguei como se íntimo fosse:

- Moacyr Luz, o que faz por aqui? E ele educado e tranquilão: