A pandemia acabou. Hora de acordar do pesadelo




Outro dia um amigo fez o comentário que me realinhou no contexto. Ele disse de chofre: “a pandemia acabou. A Covid, não. Ela continua, mas a pandemia já era!”. Falou com uma simplicidade escancarada, o amigo. A observação foi motivada para justificar o planejamento de um encontro para uma cervejada. O que não acontecia há mais de dois anos. Foi como uma brisa agradável que me acariciou e me trouxe uma leveza inesperada. Sim, até podemos nos abraçar (claro, se todos vacinados). E até já podemos ir para as ruas contrariar o inominável inquilino do Planalto, que sempre apostou na solidão coletiva parida e sustentada na pandemia. Esse verme, sim, preocupa mais que o Vírus.