A Mulher


Paula Sabbag

Essa semana comemoramos o dia internacional das mulheres e portanto falaremos sobre elas, sobre nós. A minha reflexão se deu por meio de inúmeros fatores, mas me inspirei principalmente no artigo do meu amigo mestre Paulo Eduardo e na carta do jornalista Jamil Chade citada por ele em seu texto, bem como pelas inúmeras conversas que tive e tenho com as mulheres que fazem parte do meu dia a dia e da minha vida.


Inicio dizendo que é deprimente, constrangedor e revoltante constatar que em pleno século XXI termos como machismo, sexismo e misoginia sejam constantes nos noticiários. Isso significa injustiça, preconceito, opressão e abusos de toda ordem rolando soltos de forma muitas vezes escancarada, outras vezes velada pelo mundo afora e bem próximo de todos nós.


E todos os preconceitos que já conhecemos bem pesam muito mais sobre os ombros da mulher: idade, cor, condição social, econômica, peso, estado civil entre outros, se agravam consideravelmente apenas pelo fato de ser mulher.