Hoje




Faz algum tempo que venho pensando em quanto tempo perdemos pensando no futuro e esquecemos de viver o hoje.


Quanto tempo a gente perde planejando e organizando um amanhã imprevisível e necessário, com tantas incertezas do que virá e de quem seremos, por vezes me pergunto até onde chegaremos.


Um paradoxo de existência ronda meus pensamentos, que ao longo dos dias se dissipam ao vento, é tão grande que inúmeras vezes é um tanto perturbador, é tão insano e ao mesmo tempo tão sensato, deve ser parte do meu mapa astral cuja existência é formada por um conflito interno, com a influência do sol, mas regido pela lua, capaz de tornar a sensibilidade em uma grande fortaleza e por abaixo um prédio com base sólida. Já disse que é um paradoxo? Tem até uma música que fala: Me perdi no que era real e no que eu inventei, (adorooooo).