Fui um tremendo predador!

Roberto Menescal, para CR Zine.



Dois anos antes de pegar no violão pela primeira vez, aos quinze anos de idade, ganhei um par de nadadeiras, uma máscara de mergulho e um respirador e, como sempre, passava minhas férias em Vitoria, lugar onde nasci e levei comigo esses presentes.

La eu ficava na casa da minha tia, em frente à praia. Fiz meus primeiros mergulhos neste lugar onde havia lajes de pedra no fundo e onde eu me deparei com centenas de lagostas. Peguei logo algumas e as levei para minha tia, que fez uma maravilhosa muqueca.

Meu tio vendo isso e ouvindo minhas estórias sobre os peixes que vi nesses mergulhos, me levou à cidade onde havia uma loja de material de pesca e comprou uma arma de pesca submarina, naturalmente me agradando e pensando na possibilidade que eu trouxesse alguns peixes para casa.

Foi uma loucura, pois aquele lugar era totalmente virgem, com uma quantidade incrível de peixes. Me apaixonei pelo mergulho e pela caça submarina. Comecei ali nas férias minha carreira de “predador submarino”.

Dois anos mais tarde, ainda nas férias de Vitória, conheci dois rapazes de Niterói que partiram para lá atrás de belas praias e belas garotas. Eles tocavam violão e fiquei encantado com esse instrumento que passou a ser parte de minha vida.