top of page

Felicidade à Venda e Re Acordar, em cartaz no CCJF, no Rio de Janeiro

 

Fonte: Divulgação

Uma família aparentemente feliz, composta por pai, mãe e filha, há anos sobrevive de palestras motivacionais, promovendo a ideia de que a felicidade pode estar ao alcance do seu bolso. Eles estão em turnê e acabam de chegar à cidade para compartilhar e, claro, vender seu método. Convidamos o público para participar ativamente da discussão, utilizando o poder da relação entre plateia e artista para questionar de forma franca a existência do sucesso e da felicidade como produtos na era digital.

No elenco, Dora de Assis, Lucília de Assis e Alexandre DaCosta.


Sinopse

Uma família aparentemente feliz, composta por pai, mãe e filha, há anos sobrevive de palestras motivacionais, promovendo a ideia de que a felicidade pode estar ao alcance do seu bolso. Eles estão em turnê e acabam de chegar à cidade para compartilhar e, claro, vender seu método. Convidamos o público para participar ativamente da discussão, utilizando o poder da relação entre plateia e artista para questionar de forma franca a existência do sucesso e da felicidade como produtos na era digital.



Ficha-técnica

Elenco: Dora de Assis, Lucília de Assis e Alexandre DaCosta


Direção: Natasha Corbelino

Texto/Produção Executiva: Família DaCosta

Direção de Produção: Luisa Veiga

Assistência de Produção: Débora Fiuza

Fotografia e Assistência de Direção: Julia Morais

Figurino: Rui Cortez

Música: Alexandre DaCosta


 

Período: 2, 3 e 4/2/24 (sexta à domingo) 

Horário: às 19h (sextas e sábados) e às 18h (domingos)

Classificação indicativa: 12 anos

Valor: R$50,00 (inteira) e R$25,00 (meia-entrada)

Ingressos: Sympla

Local: Teatro

Centro Cultural da Justiça Federal

Rio Branco, 241 – Centro Rio de Janeiro



Re-Acordar

 



Em 1967, um grupo de estudantes universitários e secundaristas fundou o Teatro Universitário Carioca e, sob a égide de Amir Haddad, montou a peça O Coronel de Macambira, do poeta Joaquim Cardozo, com músicas originais de Sergio Ricardo. Com o advento do AI-5, o TUCA se desfez, com parte de seus membros perseguidos, presos, forçados ao exílio. Há alguns anos, membros do grupo original se reencontraram e, ainda sob a égide de Amir Haddad, decidiram falar desse tempo.

 

A partir de cenas de O Coronel de Macambira, poemas de Marta Klagsbrunn e músicas de Sérgio Ricardo, Re-Acordar conta a história de seu elenco, história que atravessa os anos da ditadura, as prisões e os exílios. E conta como esse elenco chegou ao hoje, vive o hoje, e se projeta no futuro. 

 

Direção e dramaturgia: Amir Haddad

 

Período: 7/2 (quarta-feira)

Horário: às 18h30

Classificação indicativa: livre

Valor: R$30,00 (inteira) e R$15,00 (meia-entrada)

Local: Teatro


direção e dramaturgiaAmir Haddad

17 jan a 7 fev 24quartas, 18h30

ingressosR$30 (R$15 meia)

Centro Cultural da Justiça Federal

Rio Branco, 241 – Centro Rio de Janeiro


 

Sinopse

Em 1967, um grupo de estudantes universitários e secundaristas fundou o Teatro Universitário Carioca e, sob a égide de Amir Haddad, montou a peça O Coronel de Macambira, do poeta Joaquim Cardozo, com músicas originais de Sergio Ricardo. Com o advento do AI-5, o TUCA se desfez, com parte de seus membros perseguidos, presos, forçados ao exílio. Há alguns anos, membros do grupo original se reencontraram e, ainda sob a égide de Amir Haddad, decidiram falar desse tempo. A partir de cenas de O Coronel de Macambira, poemas de Marta Klagsbrunn, músicas de Sérgio Ricardo, Re-Acordar conta a história de seu elenco, história que atravessa os anos da ditadura, as prisões, os exílios. E conta como esse elenco chegou ao hoje, vive o hoje e se projeta no futuro.



Ficha-técnica


  • Direção e dramaturgia:

  • Assistência de direção, produção executiva, edição das músicas e relações com o público:

  • Direção musical e gravação das músicas do Macambira:

  • Elenco:

  • Amir Haddad (o Narrador)

  • Alberto Strozenberg

  • Dora Zaverucha

  • Márcia Fiani

  • Marta Klabsbrunn (in memorian)

  • Mônica Arruda

  • Regina Célia Dantas

  • Ricardo Valle

  • Sergio Alevato

  • Vitor Hugo Klabsbrunn

  • Direção de imagem:

  • Máximo Cutrim

  • Sonoplastia:

  • Evandro Castro

  • Revisão do texto:

  • Regina Célia Dantas

  • Gravação e edição de vídeos:

  • Evandro Castro e Máximo Cutrim (Criação Máxima)

  • Fotografias:

  • Marcos Batista e Mariana Pêgas

  • Participam da trilha sonora:

  • Jacqueline Dowek, Márcia Fiani, Maria Lúcia Porciúncula e Regina Célia Dantas

  • Administração:

  • Sérgio Alevato

  • Arte visual e divulgação:

  • Mônica Arruda

  • Produção: TUCAARTE – Associação TUCA de Arte e Cultura

*EXTRA: Nos dias 17/01 e 07/02 o Re-Acordar receberá os músicos Marina Lutfi e João Gurgel, que abrirão a cena com um tributo ao seu pai, Sérgio Ricardo.


Centro Cultural da Justiça Federal

Rio Branco, 241 – Centro Rio de Janeiro


Mini Bio

TUCAARTE


O TUCA (Teatro Universitário Carioca) foi fundado em 1966 e apresentou quatro peças. Como outros grupos culturais, com o advento do AI-5 (dezembro/1968) o TUCA se viu constrangido a “fechar as portas”. Reabertas em 2017, com a dramaturgia e apresentações do Re-Acordar

*Crédito da foto: @Mariana Pêgas



 

Participe do Filme + Show + Disco do projeto +40 Anos do Clube do Samba.

Ingressos "Eu Apoio o Retiro dos Artistas", a R$ 1 real + 1 quilo de alimento não perecível



 

 

Cedro Rosa Digital: Inovação Harmoniosa Transformando o Mercado Independente da Música



Em um cenário onde a interseção entre arte e economia cria sinergias poderosas, a Cedro Rosa Digital emerge como uma força transformadora, moldando o panorama do mercado independente da música. A empresa, enraizada na essência da economia criativa, tem demonstrado impacto significativo, promovendo não apenas o desenvolvimento econômico, mas também a saúde física e mental de artistas.




Através de ferramentas inovadoras, a Cedro Rosa Digital está democratizando o acesso e a distribuição de música independente. Seu ecossistema digital proporciona uma plataforma inclusiva para artistas emergentes, conectando-os diretamente com um público global. Essa abordagem não apenas impulsiona a geração de empregos, mas também cria oportunidades de renda sustentável para músicos independentes.



Além disso, a empresa investe em tecnologias de streaming e análise de dados, capacitando artistas a compreenderem melhor seu público e aperfeiçoarem suas estratégias de promoção. Esse apoio não apenas fomenta o crescimento econômico, mas também contribui para a saúde mental dos artistas, oferecendo ferramentas que promovem uma gestão eficaz da carreira musical.

0 comentário

Comments


+ Confira também

destaques

Essa Semana

bottom of page