top of page

Edson Natale lança “A música no Brasil que você toca”, histórias desconhecidas e desconsideradas



A gravação do primeiro disco do Amapá, a primeira mulher latino-americana a reger a Filarmônica de Berlim e a enquete a respeito se uma mulher deveria ou não tocar trombone são algumas das histórias contadas no livro


O que um detetive em Recife da década de 1970, um flautista, que recepciona a Coluna Prestes em sua chegada à primeira capital do Piauí, em 1926, e a fuga de um garoto de 11 anos em Itabaiana, Sergipe, em 1929, têm em comum? É com algumas dessas perguntas e histórias que Edson Natale inicia a itinerância de lançamentos de seu novo livro, “A música no Brasil que você toca”, dia 11 de setembro, às 20h, no Bar Balcão. O livro traz, em 11 capítulos, diversas histórias que o músico e gestor cultural reuniu, pesquisou ou vivenciou ao longo de mais de 30 anos de viagens por todo o Brasil. O lançamento é fruto da parceria entre as editoras zarpaZanza e Paraquedas.


“Este livro é resultado de muitas andanças pelo Brasil. Me dei conta que estava, já há algum tempo, colecionando e anotando as histórias que ouvia ou vivenciava, e também os recortes, folhetos e livros que juntei, ganhei ou comprei nos sebos, até perceber que tinha reunido um material riquíssimo a respeito da música brasileira, de todas as regiões do país. Comecei a dar forma a uma narrativa para compartilhar essa infinidade de histórias e algumas delas, finalmente, estão neste livro; outras ainda aguardam novos mergulhos que se juntarão a futuras viagens e encontros...”, afirma Natale.


A primeira mulher latino-americana a reger a Filarmônica de Berlim foi uma brasileira chamada Joanídia Sodré. Natale conta parte de sua história no livro, começando pelo seu nascimento em Porto Alegre, em 1903; ela, que participou do 1º Congresso Internacional Feminista, aos 19 anos, regendo o concerto formado apenas por peças de compositoras: as francesas Cécile Chaminade e Augusta Homès, a inglesa Ethel Smyth e a brasileira Branca Bilhar. Joanídia também participou da segunda edição deste mesmo congresso, quando compôs o hino da Federação Brasileira pelo Progresso Feminino, que recebeu letra de Maria Eugênia Celso Carneiro de Mendonça.


Primeiro disco da história do Amapá

Histórias como de Hernani Vitor Guedes, conhecido como ‘farmacêutico da rabeca’, um jovem paraense que na segunda metade da década de 1940, clinicava em um barco regatão, levando medicamentos, ervas, (e música) para habitantes da Ilha de Marajó e que em 1971, já vivendo em Macapá, decide gravar um disco em um estúdio que ele mesmo improvisou com a ajuda de amigos e parentes. A fita foi transportada por um avião da Força Aérea Brasileira, único transporte possível na época, já que não havia voos comerciais que incluíssem o Amapá em suas rotas, mas o amigo de Hernani que levou a fita teve sua mala furtada e com ela, a fita matriz. Quando a triste notícia chegou em Macapá, Hernani decidiu contratar um detetive na tentativa de encontrar a fita furtada, encontrada semanas depois num sebo em Recife. Finalmente a fita seguiu seu caminho até a Fábrica de Discos Rozenblit, lugar onde concretizou-se o sonho do farmacêutico da rabeca e do grupo que ele fundou, "Os Mocambos".



Sobre Edson Natale


Edson Natale_fonte: divulgação

Edson Natale descobriu-se músico na faculdade de agronomia, no início dos anos 1980, e desde então atravessa a vida de mãos dadas com a música e com outras pessoas que a amam. Nascido em São Paulo, em 1962, atuou no campo da gestão cultural por mais de vinte anos, como gerente do núcleo de música do Itaú Cultural e gerente-coordenador do Auditório Ibirapuera e de sua escola, dedicada à formação musical de estudantes da rede pública de ensino. Além de discos como Nina Maika (1990), Calvo, com sobrepeso (2007), Âmbar – os afluentes da música (2020) e A egípcia e o mecânico (2022), lançou livros como A história do incrível Peixe Orelha e Balila, a minhoca bípede, voltados para o público infantil. Com Cris Olivieri, é organizador da coletânea de textos Direito, arte e liberdade e do Guia brasileiro de produção cultural.


Ficha técnica: Título: A música no Brasil que você toca Autor: Edson Natale Editoras: zarpaZanza e Paraquedas Ano: 2023 Número de páginas: 160 Formato: 14x21 cm ISBN: 978-65-84764-71-2 1ª edição Preço de capa: R$59,90 Vendas: Loja da Clara Site da Paraquedas Novos Lançamentos


23/10 - Semana da Música da Faculdade Santa Marcelina ( com Maurício Pereira), São Paulo, SP

26 / 10 - Vênus Bistrô Café, Vitória, ES

28 / 10 - Centro Cultural Triplex Vermelho, Vitória, ES

24 / 11 - FLIP Casa Pagã, Paraty, RJ

28 / 11 - Conservatório de Tatuí, Tatuí, SP

29 / 11 - Templo Bar, Bauru, SP




 

A Cedro Rosa Digital leva a música brasileira para feira de negócios e tecnologia em DUBAI.




A Cedro Rosa Digital apoia independentes na geração de renda por meio dos direitos autorais de suas músicas.

A Cedro Rosa Digital está desempenhando um papel fundamental no apoio a artistas independentes na geração de renda por meio dos direitos autorais de suas músicas. A empresa oferece uma plataforma acessível e eficiente que permite que músicos registrem suas composições de forma fácil e segura, garantindo que eles recebam os royalties que merecem.


Escuta a playlist de grandes artistas brasileiros na Cedro Rosa / Youtube


Além disso, a Cedro Rosa Digital oferece serviços de monitoramento de uso de música em diferentes mídias, identificando oportunidades de licenciamento e distribuição. Isso não apenas protege os direitos autorais dos artistas, mas também ajuda a maximizar seus ganhos. Com a Cedro Rosa Digital, artistas independentes têm mais controle sobre seu trabalho e uma maneira confiável de transformar sua paixão pela música em uma fonte sustentável de renda.


Escute esses solos de violão, na playlist Cedro Rosa.



0 comentário

Yorumlar


+ Confira também

destaques

Essa Semana

bottom of page