BOTEQUIM



O couro comia na roda. O sete cordas aplicava moldura dourada nos desenhos que o cavaco fazia e a percussão educada tornava o som quase sólido. As vozes entregavam as letras que diziam exatamente o que se queria ouvir naquela hora, crônicas de uma existência dividida entre prazeres e dissabores, balanceada entre subidas e descidas, forçadas ou estratégicas.


- “Quando começou era diferente...”


E como era... Contextualizado ou isolado, o verso inicial de “Pura Semente”, samba de Arlindo Cruz e Acyr Marques, imortalizado pelo Marquinhos Satã, calava profundamente no coração de quem ouvia. E o Nelsinho ouvia. E cantava. E chorava. E se comovia. Afinal, tudo era diferente no início.


- “Os tempos idos, nunca esquecidos, trazem saudades ao r