top of page

UMA TRANSFORMAÇÃO NECESSÁRIA


José Luiz Alquéres, editor

A recorrência de altas temperaturas e chuvas intensas na região do Rio de Janeiro e de Petrópolis, onde até mesmo um tornado com ventos superiores a 100 km/h se fez presente, evidencia a dimensão das mudanças climáticas que estão começando a chegar.

 

O enfrentamento dessa situação cria a oportunidade de as empresas passarem a ser melhor avaliadas pelo público. Com efeito, pesquisas realizadas em vários países do mundo apontam o pouco apreço que as populações demonstram pela classe empresarial. Esse resultado pode parecer surpreendente, uma vez que as empresas são as maiores empregadoras de pessoas e responsáveis diretas pela criação de riquezas e melhoria da qualidade de vida. As pessoas parecem se fixar em determinados aspectos negativos da atividade empresarial, como a inapropriada gestão de recursos humanos, os impactos ambientais, insatisfação com salários recebidos ou a apropriação do escasso tempo dos seus colaboradores.

 

Impõe-se a reversão dessa atitude negativa por meio de uma vigorosa alteração na cultura empresarial, que vai requerer uma reflexão sobre a ideologia das empresas e uma análise das motivações individuais de seus colaboradores.

 

Esse processo conduz à conclusão que as empresas devem liderar a transformação do mundo em uma economia de baixo carbono e em uma sociedade menos desigual, com redefinição das relações entre capital e trabalho e criação de uma mentalidade nos seus colaboradores de responsabilidade em relação aos aspectos ambientais sociais, econômicos e culturais das comunidades em que atuam. Em suma, as empresas devem se humanizar!

 

As pessoas jurídicas têm a faculdade de serem imortais, contrariamente às pessoas físicas. Essa faculdade de uma longa vivência que as empresas podem adquirir se torna importante no contexto dos desafios ambientais e sociais que o mundo irá enfrentar. Tanto os governos como até mesmo as famílias se tornaram espaços desfavoráveis à continuidade no longo prazo de políticas, práticas e valores. As empresas, por outro lado, pela sua faculdade já mencionada de sobrevivência como pessoas jurídicas e foco em temas como lucratividade e permanente investigação de novas soluções, são mais estáveis e propícias para enfrentar desafios que exijam décadas de trabalho direcionado à objetivos de longo prazo, como é o caso dos desafios sociais e ambientais, que devem reverter séculos de práticas impróprias.

 

É hora, portanto, das associações empresariais e de suas lideranças tomarem para si a bandeira das transformações necessárias, como fizeram nos alvores da revolução industrial, sem, no entanto, incorrer naquelas mazelas que provocaram e resultaram nos movimentos sociais radicais de meados do século XIX.

 

Uma nova sociedade está se formando sob os nossos olhos: uma sociedade digital, onde a intensidade das conexões entre as pessoas aumenta dia-a-dia, onde o repúdio a guerras e injustiças sociais é cobrado com muito mais intensidade e onde a consciência que a preservação do planeta para nossos filhos e netos é algo que compete à nossa geração. Esta é a mais importante agenda do empresariado mundial, que possui o poder de modificar as tendências perversas que contribuíram indiretamente para o atual estado de coisas.

 

Sobre o assunto, em breve lançarei meu novo livro: Empresas Sábias, uma cultura organizacional para o século XXI.


Escute o artigo no Youtube!




 

 A Economia Criativa pode desempenhar um papel fundamental na revitalização e no desenvolvimento de cidades, especialmente ao criar polos integrados que promovam emprego e renda para criadores e artistas locais.


A Cedro Rosa Digital pode contribuir nesse cenário ao oferecer certificação e distribuição de música, ajudando a promover os artistas locais e a ampliar seu alcance.



Além dos segmentos mencionados, outros setores que podem ser incentivados incluem:


  1. Moda: Incentivar a produção local de moda sustentável, valorizando técnicas tradicionais e materiais locais.

  2. Design: Estimular o design local, tanto de produtos quanto de ambientes, incorporando elementos culturais e sustentáveis.

  3. Audiovisual: Apoiar a produção de filmes, séries e conteúdos digitais que valorizem a cultura local e promovam a diversidade.

  4. Turismo Criativo: Desenvolver roteiros turísticos que valorizem a cultura, arte e gastronomia local, envolvendo a comunidade criativa.

  5. Gastronomia: Promover a culinária local, valorizando ingredientes regionais e técnicas tradicionais, criando experiências gastronômicas únicas.

  6. Arquitetura e Urbanismo: Incentivar projetos de revitalização urbana que valorizem a identidade local, incorporando arte e design nas intervenções.


A Cedro Rosa Digital pode ajudar a organizar e promover essas iniciativas, oferecendo plataformas para a divulgação e comercialização dos produtos e serviços criativos locais, além de criar conexões entre os diversos segmentos da economia criativa.



0 comentário

Commentaires


+ Confira também

destaques

Essa Semana

bottom of page