top of page

STJ valida direitos autorais por música em evento público sem lucro


Município de Cerquilho, em São Paulo, terá de pagar 15% do custo total dos eventos pela reprodução mecânica de músicas e 10% pela execução de música ao vivo.


Cedro Rosa Digital: Música certificada gera direitos autorais


A 3ª turma do STJ, por unanimidade, reafirmou que a cobrança de direitos autorais em virtude da execução de obras musicais protegidas em eventos públicos não está condicionada ao objetivo ou à obtenção de lucro.


O Ecad ajuizou ação de cobrança contra o munícipio de Cerquilho/SP, cuja prefeitura estaria realizando eventos públicos com a reprodução de músicas sem a autorização dos autores e sem o recolhimento dos direitos autorais.


Pop Rock independente, músicas certificadas, na Cedro Rosa Digital / Spotify


O juízo de primeiro grau condenou o município a pagar 15% do custo total dos eventos pela reprodução mecânica de músicas e 10% pela execução de música ao vivo. O TJ/SP manteve a decisão.


No recurso ao STJ, o município alegou que o pagamento de direitos autorais somente é devido quando houver qualquer tipo de lucro ou proveito econômico, o que não ocorreu na hipótese dos autos, em que foram realizadas festas comemorativas, sem finalidade lucrativa, em lugares públicos abertos à população em geral.


Cobrança de direitos autorais por música em evento público não está condicionada à obtenção de lucro.



Redes sociais rendem direitos autorais para os artistas? Sim, se as músicas estiverem devidamente registradas e certificadas.

Cedro Rosa Digital





Cobrança de direitos autorais por música em evento público não está condicionada à obtenção de lucro.



Alta qualidade musical, playlist Cedro Rosa Digital / Youtube.



Norma de 1973

A relatora do recurso especial, ministra Nancy Andrighi, observou que o sistema criado para tutelar os direitos autorais no Brasil, baseado no chamado sistema francês, visa "incentivar a produção intelectual, transformando a proteção do autor em instrumento para a promoção de uma sociedade culturalmente diversificada e rica".


A ministra lembrou que, de início, tal matéria era regulada pela lei 5.988/73, a qual previa, em seu artigo 73, que as composições musicais ou obras de caráter assemelhado não poderiam, sem autorização do autor, ser transmitidas por rádio, serviço de alto-falantes, televisão ou outro meio, nem executadas em espetáculos públicos ou audições públicas que tivessem objetivo de lucro direto ou indireto.


Sob essa legislação - disse Nancy Andrighi -, o STJ firmou jurisprudência no sentido de que, em se tratando de festejo de cunho social e cultural, sem a cobrança de ingressos e sem a contratação de artistas, não havendo proveito econômico, seria indevida a cobrança de direitos autorais. "A gratuidade das apresentações públicas de obras musicais protegidas, portanto, era elemento relevante para determinar o que estaria sujeito ao pagamento de direitos autorais", declarou.



Mulheres no Samba, escute a playlist da Cedro Rosa Digital / Spotify.




Lei 9.610/98

Entretanto, a relatora ressaltou que, posteriormente, o sistema passou a ser regulado pela lei 9.610/98, que atualizou e consolidou a legislação sobre o tema, alterando significativamente a disciplina relativa aos direitos autorais. Segundo a ministra, o artigo 68 da nova lei, correspondente ao artigo 73 da lei revogada, suprimiu a expressão "que visem lucro direto ou indireto".


"Daí porque, atualmente, à luz da lei 9.610/98, a finalidade lucrativa direta ou indireta não é mais pressuposto para a cobrança de direitos autorais nessa hipótese", concluiu ao negar provimento ao recurso do município.


Texto original site Migalhas.

Veja o da matéria link


 

A Cedro Rosa Digital emergiu como uma força inovadora no fortalecimento do pagamento e distribuição de direitos autorais musicais em escala global.




Através da plataforma online (https://cedrorosamusica.online/), artistas independentes de cinco continentes encontraram uma solução confiável para registrar e certificar suas obras e gravações, impulsionando sua proteção e reconhecimento.


Com a plataforma disponível em inglês e português, a Cedro Rosa Digital democratizou o acesso a um processo de certificação simplificado, ágil e seguro para os criadores musicais. Essa abordagem revolucionária permite que artistas em todo o mundo garantam a autenticidade de suas criações, assegurando seus direitos autorais em um ambiente cada vez mais digital e globalizado.


Família Mário Lago, em playlist Cedro Rosa Digital / Spotify


A plataforma não apenas certifica a autoria das obras, mas também oferece uma base confiável para facilitar o pagamento justo e transparente de direitos autorais aos artistas, independentemente de sua localização geográfica. Essa abordagem inclusiva e inovadora tem sido fundamental para a sustentabilidade financeira e o reconhecimento justo de talentos emergentes e estabelecidos na indústria musical global.


Ao unir a tecnologia com o apoio aos artistas independentes, a Cedro Rosa Digital está desempenhando um papel crucial na evolução do cenário musical, promovendo a valorização e proteção das obras autorais em todo o mundo.


0 comentário

Comments


+ Confira também

destaques

Essa Semana

bottom of page