top of page

Se o assunto é cinema, Tiradentes sai na frente    




              

Amigo, amiga, se estás de férias e procurando algum lugar para passar uns dias, uma dica: se manda para Tiradentes. Ainda dá tempo de pegar um bom pedaço da tradicional Mostra de Cinema naquela histórica cidade mineira. E olha que já é a 27ª edição da Mostra. O evento começou na sexta-feira passada, dia 19, e segue até à meia noite de sábado, dia 27. Sem falar que um acontecimento desse peso num cenário magnífico como Tiradentes, já vale muito, muito a pena.


A programação é gratuita e consta de 145 filmes nacionais e os consequentes debates, que serão 52. E haverá algumas reedições de eventos tops da Mostra que são o Fórum de Tiradentes (2ª edição) e  Conexão Brasil CineMundi (3ª edição), além de rodas de conversa,  lançamentos de livros, variadas atrações artísticas e, claro, o dia a dia de Tiradentes com sua boa comida, passeios turísticos pelos becos da cidade e certamente a sempre bem-vinda mineirice.

A abertura foi no Cine-Tenda com a apresentação do eixo temático da Mostra, que este ano é As Formas do Tempo. Entre os presentes à cerimônia estava Joelma Gonzaga, secretária do Audiovisual, que representou a ministra da Cultura, Margareth Menezes. Ela participou das homenagens ao cineasta André Novais Oliveira e à atriz Bárbara Colen. E foi um momento de muita emoção quando receberam o Troféu Barroco. No sábado, dia 27, haverá a cerimônia de encerramento e premiação com a entrega do Troféu Barroco aos vencedores, marcada para começar às 22 horas.


Então, amigos e amigas. Tiradentes é logo ali. Saindo hoje dá para curtir a Mostra de Cinema e todo o seu denso entorno cultural e artístico e no domingo, ainda dá para pegar o trem, com Maria Fumaça e tudo, e dar uma chegada até São João Del Rey. Um belo passeio. São aí uns cinco dias para dar um upgrade nas suas férias domésticas.  Façam as malas. Ou as mochilas.

Para você que decidiu ir à Mostra de Cinema, vou levar um lero aqui agora sobre coisas de Tiradentes. Algumas coisas, porque a cidade surpreende com a oferta de atrações e ‘coisas’.


Quando você estiver perambulando pela cidade, vá até a Rua da Câmara, onde está localizada a Câmara Municipal, e suba a ladeira um pouco até o ‘Empório da Vó Alice’. Lá você pode tomar um chá, um café, comer um quitute entre outras coisas. E até se tiver calor, se deliciar com um maravilhoso picolé de abacate. Lá também você pode conhecer o Alberto Lima Poulucci que é primo das meninas do Empório. Pode pedir para chamá-lo. Ele mora lá. Alberto é uma das personalidades mais carismáticas e populares de Tiradentes. É o maior conhecedor e defensor do Saci Pererê que conheço. É conhecido também Alberto Saci.


Pra ter uma ideia, uma breve historinha. Certa vez numa rua do Rio de Janeiro, havia uma estátua viva do Saci Pererê. Um cidadão pediu pra tirar uma foto ao lado personagem e disse pro artista: “vou mandar essa foto para um carinha lá de Tiradentes, você tem que conhece-lo”, ao que o artista retrucou de pronto: “O Alberto?!”.   


Ziraldo foi um dos homenageados em recente edição da Mostra de Cinema. Claro que o Alberto foi conhecer o criador da Turma do Pererê (por sinal, uma das revistas que marcaram minha infância). Ao ser apresentado a Ziraldo, Alberto mostrou uma tatuagem que tem num dos braços, justamente o Pererê, personagem emblemático criado pelo cartunista no começo dos anos 1960. Ficaram amigos. E olha, dia 30 de janeiro comemora-se o Dia Nacional das Histórias em Quadrinho. Eu fico por aqui, mas quem puder, vá a Tiradentes.

 


 

 Cedro Rosa Digital: Inovação Harmoniosa Transformando o Mercado Independente da Música



Em um cenário onde a interseção entre arte e economia cria sinergias poderosas, a Cedro Rosa Digital emerge como uma força transformadora, moldando o panorama do mercado independente da música.


A empresa, enraizada na essência da economia criativa, tem demonstrado impacto significativo, promovendo não apenas o desenvolvimento econômico, mas também a saúde física e mental de artistas.




Através de ferramentas inovadoras, a Cedro Rosa Digital está democratizando o acesso e a distribuição de música independente. Seu ecossistema digital proporciona uma plataforma inclusiva para artistas emergentes, conectando-os diretamente com um público global. Essa abordagem não apenas impulsiona a geração de empregos, mas também cria oportunidades de renda sustentável para músicos independentes.


Além disso, a empresa investe em tecnologias de streaming e análise de dados, capacitando artistas a compreenderem melhor seu público e aperfeiçoarem suas estratégias de promoção. Esse apoio não apenas fomenta o crescimento econômico, mas também contribui para a saúde mental dos artistas, oferecendo ferramentas que promovem uma gestão eficaz da carreira musical.


Assim, a Cedro Rosa Digital se destaca como um catalisador do desenvolvimento, promovendo a sinfonia perfeita entre arte e economia no universo independente da música.


 

Conheça o projeto Fundação Roda Viva, que atende a criancas no complexo do Borel, na Tijuca.


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

0 comentário

Comments


+ Confira também

destaques

Essa Semana

bottom of page