Reflexões de hospital




Não consigo estimar quantas vezes entrei ou sai pela porta do apartamento 12 do edifício Barcelona nos últimos trinta anos, mas na última semana consigo dizer esse número com exatidão, nenhuma vez.


A Covid-19 me proporcionou uma experiência de aproximação comigo mesmo, fazendo eu refletir não só sobre a doença, mas sobre a vida.


Pensando bem sobre isso não tem como não visualizar a porta em questão, seus detalhes em marrom, o extintor ao lado, a caixinha da TV a cabo e até as patinhas da Nina sempre aparecendo pelo vão inferior como que me lembrando que ela está ali.