Quem nunca errou que atire a primeira pedra


Outro dia conversando com uma ex-aluna percebi que com o passar dos anos fiquei mais tolerante com os meus erros, talvez isso seja um sinal de amadurecimento, ou apenas sinal de que passei a entender que o erro faz parte do processo de construção e aprendizagem.


Pelo menos hoje para mim isso faz total sentido.


Comigo aconteceu assim, fui mudando conforme a idade avançava, mas com certeza quando eu era mais jovem também “cometia o erro” de colocar todo peso do mundo sob minhas costas quando eu errava, ou simplesmente não enxergava os reais motivos do erro em si, ou ainda queria (algumas vezes) atribuir a culpa dos meus erros a terceiros.

Que bom que a gente cresce e aprende.


Enquanto conversávamos percebi que assim como eu quando jovem, ela também costuma colocar o peso dos erros sob suas costas, muitas vezes por erros que talvez nem fossem tão graves assim, mas o que mais a incomoda nem é o erro em sim, mas o que as pessoas vão achar.