top of page

PROJETO TERÇA DO COMPOSITOR, com ROBERTO LARA



PROJETO TERÇA DO COMPOSITOR - SEGUNDA TEMPORADA

EM CADA ENCONTRO MUSICAL, A PRODUÇÃO DE UM FILME DOCUMENTÁRIO

ESTREIA 11 DE JUNHO – ROBERTO LARA

COMPLEXO CULTURAL MARIO MARQUES – TEATRO SÝLVIO MONTEIRO

CASA DE CULTURA NOVA IGUAÇU



Se você gosta de música, sobretudo é ávido(a) pelo novo, por novas produções autorais identificadas com o segmento de qualidade da música brasileira, a partir de junho, durante cinco meses consecutivos, sempre na segunda terça-feira de cada mês, está convidado(a) a encontrar artistas que compõem o universo musical da cidade de Nova Iguaçu. Em cena, histórias e canções que delinearam a trajetória de vida artística dos protagonistas.


Com origem e / ou com forte identidade cultural na cidade de Nova Iguaçu, cada artista em cena vai falar de suas vivências e experiências sonoras, artísticas, culturais, políticas, da trajetória de vida em geral. Dos sons da infância, as influências, os modos de tocar seus instrumentos, as criações e parcerias ao alcance e consolidação da vida artística, os planos futuros, tudo será registrado ao vivo para posteriormente ser editado e exibido em formato de minissérie e podcast.


O legado desses encontros será disponibilizado em plataformas de streaming do projeto e da Água Grande, proponente do projeto, para o livre acesso do público, como forma de fortalecer o patrimônio cultural imaterial da cidade de Nova Iguaçu, da Baixada Fluminense e, por conseguinte, a memória histórica e contemporânea da música popular brasileira.


CONTEXTUALIZAÇÃO

O “Terça do Compositor” surgiu em finais da década de 1990, conduzido pela produtora cultural Simone Lopes. Às terças, cantores e compositores da cidade e / ou da região apresentavam novas formas de produção musical, trabalhos autorais para mais de uma centena de pessoas que lotava o extinto Billy Bar.


Em 2021, durante a pandemia, o projeto foi reeditado no formato de entrevistas musicais, para ser registrado ao vivo e editado para exibição em formato de minissérie com o protagonismo de cinco compositores da cidade de Nova Iguaçu, hoje disponível em redes sociais do projeto.

A atual temporada do projeto mantem a proposta de fazer uma leitura criativa da produção musical de cinco artistas, em formato de entrevista musical, a vivo, agora com a presença de público, para também ser editado e exibido em formato de minissérie e podcast em redes de streaming, para livre acesso para o público.


SERVIÇO:

PROJETO TERÇA DO COMPOSITOR

Complexo Cultural Mario Marques (Casa de Cultura Nova Iguaçu)

Teatro Sylvio Monteiro

Às 19 horas

Entrada franca

Distribuição de senhas a partir das 18 horas


11 de junho – Roberto Lara

09 de julho – Fernanda Morais

13 de agosto – Rogéria Emmer

10 de setembro – Blue

08 de outubro – Claudio Camillo


ROBERTO LARA – 11 de junho – às 19 horas


Roberto Lara é um singular compositor e cantor brasileiro identificado com a Baixada Fluminense. A produção fonográfica começou em Berlin (1989). Posteriormente fez mais três CDs autorais, independentes, lançados em 1997, 2002 e 2008. Mais recentemente lançou o álbum Morro Agudo Beach nas plataformas de streaming.


Ao longo de mais de 40 anos, Roberto apresentou um incontável número de shows no Rio de Janeiro e em outras partes do país e do exterior. Ao violão e voz ou com banda, Roberto dá voz a uma forma única de compor e tocar suas músicas, o que remete a uma forte identidade com as pessoas e o lugar.


Atualmente, Roberto produz o álbum da cantora Rogéria Emmer, faz releitura de seus trabalhos lançados, mixa e masteriza um álbum inédito em que interpreta a obra de Noel Rosa e canções do álbum Morro Agudo Beach.


 

A Cedro Rosa Digital inova ao certificar e distribuir obras e gravações musicais através de um modelo de negócios que prioriza a transparência, eficiência e justiça para todos os envolvidos na cadeia econômica da música e do audiovisual.



Ao garantir que os direitos autorais sejam devidamente reconhecidos e compensados, a Cedro Rosa Digital contribui para uma distribuição mais equitativa da renda gerada pelas obras.

Filmes musicais como "Partideiros" e "+40 Anos do Clube do Samba", em coprodução com a TV Cultura de São Paulo, são exemplos de como a indústria audiovisual pode gerar empregos e renda para diversos profissionais.




Além dos artistas e músicos envolvidos nas gravações, esses projetos demandam uma ampla equipe de produção, incluindo diretores, produtores, técnicos de som e imagem, editores, entre outros. A realização desses filmes cria uma verdadeira cadeia produtiva que beneficia não apenas os envolvidos diretamente, mas também a economia local e regional.



Dessa forma, a Cedro Rosa Digital não apenas contribui para a valorização e proteção dos direitos autorais, mas também para o desenvolvimento econômico e cultural das comunidades onde atua, fomentando a criação de empregos e a geração de renda através da produção audiovisual e musical.




0 comentário

Comentários


+ Confira também

destaques

Essa Semana

bottom of page