top of page

Não sei



Uma das boas vantagens da idade é uma certa liberdade que a gente adquire para pequenos exageros na nossa biografia.


Posso, por exemplo, sentar para conversar com alguém bem mais jovem e criar uma bela história de castelos e princesas, enfeitada com atos de heroísmo e batalhas de quase morte.


No final é bem provável que a/o ouvinte nem acredite no relato, mas, por uma questão de respeito ou quem sabe uma peninha incontida, louvará minha astúcia e minha coragem.

Talvez até jure de pés juntos (nunca entendi muito bem essa expressão) que a partir desse momento seu sonho de vida é desfrutar de aventuras como as minhas.


O importante é que, ao final, ninguém sairá com amarguras nem feridas.

É possível até que todos ganhem o dia.

Mas em que momento da vida conquistarmos esse direito?


Eu devo confessar que já lanço mão do artifício há muitos mais anos do que deveria.

Mas o momento exato talvez tenha sido naquela noite em que comemorava com amigas e amigos os meus 40 anos e alguém insistia em saber como eu me sentia entrando na perigosa casa dos “enta”.


Não lembro quantas vezes tive que repetir “não sei” sem que a criatura se desse por satisfeita.

Por fim, não aguentando mais a aporrinhação, pedi uma caneta, peguei um guardanapo e escrevi:


NÃO SEI

DE QUE VIDA É A SEMENTE

QUE BROTA ASSIM DE REPENTE

QUERENDO ME DOMINAR


NÃO SEI

SE É PAIXÃO OU LIBERDADE

O PERFUME DE SAUDADE

QUE TOMA CONTA DO AR


NÃO SEI

SE O AMOR É DESCONFORTO

TAMBÉM NÃO SEI SE MEU PORTO

É AQUI OU ALÉM


NÃO SEI

SE NAVEGO MAR PROFUNDO

SERÁ QUE EU SOU TODO MUNDO?

SERÁ QUE MEU MUNDO É NINGUÉM?


Só não me arrependo profundamente do que fiz porque posteriormente completei os versos e eles renderam mais uma linda parceria com meu querido e saudoso Delcio Carvalho.


Fora isso, foi uma terrível madrugada de tormento, com a figura exigindo que eu fizesse a melodia ou, o que era muuuuuuuito pior, se oferecendo para a tarefa.


O que me teria passado pela cabeça para fazer gracinha ao invés de lançar mão de uma boa, enfeitada e inocente mentirinha?


Mas, como diria minha avó Zinha, entre mortos e feridos salvaram-se todos.


Até a próxima esquina.


 

Entardecer



Vem com a gente!


 

Siga a Cedro Rosa.

 

Cedro Rosa cria Plataforma mundial de Música, em 10 idiomas, para gerir direitos autorais e licenciar musicas.




Músicos, compositores, bandas, mídia, produtores de cinema, streaming, TV, publicidade e games em um único ambiente digital, para negócios de licenciamento.



Abra um perfil agora


Plataforma digital permite registro, distribuição e licenciamento de músicas no mundo inteiro. Todo mundo pode escutar músicas e podcasts de graça.



A Cedro Rosa , produtora e distribuidora de conteúdos, com sedes no Rio de Janeiro, New York e Tokyo criou uma plataforma digital de administração e distribuição de músicas no mundo inteiro.


Para ter acesso, como artista, empresa ou simplesmente amante de música, basta abrir um perfil, apenas com nome e e-mail.


A plataforma digital funciona em 10 idiomas e conta com mais de 3 000 mil certificadas, prontas para serem licenciadas para sincronizações diversas em filmes, novelas, audiovisuais, games e publicidades.


Acompanhe nossas redes digitais. https://linktr.ee/cedrorosa


Compositores, bandas e artistas podem registrar suas musicas e fazer contratos de distribuição e licenciamento e empresas da midia como TVs, Radios, produtoras de cinema e conteudo em geral podem licenciar essas obras devidamente certificadas diretamente na plataforma.



+ Confira também

destaques

Essa Semana

bottom of page