top of page

Não adianta chorar, no dia da independência fiquei em casa



Brasil, 7 de setembro de 2021, 10 horas da manhã.


Começou mais um espetáculo televisivo de mais um dia que tem tudo pra ser fora da ordem aqui na terra brasilis.

Hoje é o dia em que comemoramos mais um ano da independência do Brasil, o dia que entrou para a historia como o marco da libertação de Portugal no grito dado por D. Pedro I às margens do Ipiranga, mas ao que tudo indica será mais um dia longo, tenso, sem desfile e com aquelas cenas lamentáveis que infelizmente são cada vez mais frequentes em dias de povo na rua no Brasil atual.


Hoje o que possivelmente veremos é novamente o povo de bem que apoia e que é contra o governo mostrando todo seu patriotismo e toda sua civilidade em forma de vandalismo, de diversas formas e por diversas capitais do país.


Um país dividido, e o “nós contra eles” tão bem utilizado pelos dois protagonistas das disputas eleitorais do próximo ano deixa claro o quanto eles são parecidos e o quanto precisam um do outro para poder polarizar a disputa.

Pobres de nós infelizes ingênuos que ano após ano não nos cansamos de não perder as esperanças, de continuar acreditando em mitos de esquerda ou de direita, e que não queremos nem um nem outro.


Pobre de nós que não temos opção e mais uma vez teremos que optar pelo menos pior, e que decisão difícil.


Na capital nacional começou a manifestação em prol do fim do direito de se manifestar, e como não poderia deixar de ser cenas lamentáveis são transmitidas em tempo real também nas redes prós e contras, mostrando como estamos indo cada vez mais rápido para o fundo do poço.


A direita grita, pede coisas inimagináveis em um país democrático, mas daqui a pouco a oposição reprimida também dará sua contribuição em favor do caos, afinal do jeito que a coisa vai fica praticamente impossível imaginar atos pacíficos em meio a tanto ódio sendo destilado desde a semana passada.

Muitas pessoas se dizem preocupadas com o sete de setembro, eu estou preocupado com o oito, com o nove, com o futuro.


Discursos antigos travestidos de modernos por pessoas igualmente antigas que se valem da memória curta ou seletiva das pessoas que inocentemente, ou não, continuam caindo em lorotas de gente que nunca tiveram credibilidade, ou talvez até tiveram em um passado distante, mas que infelizmente deixaram ir por água abaixo quando tiveram a oportunidade de verdadeiramente mudar o país e apenas advogaram em causa própria.

Lobos em pele de cordeiro, homens pregando suas crenças em nome de Deus, colocando preço na cabeça de outras pessoas, tentando impor suas verdades a qualquer preço, mentindo, desinformando, garantindo que nada sabiam ou que são inocentes ou apenas manipulando de acordo com suas conveniências.


Somos enganados desde que Cabral aportou por essas bandas, nos deram espelhos cantou Renato, e mais de quinhentos anos depois continuamos nos satisfazendo com migalhas enquanto os salvadores da pátria seguem enriquecendo as nossas custas.

Tiram-nos direitos, questionam nossa inteligência, nos negam os direitos mais básicos com a maior cara de pau, afinal não adianta chorar já dizia o pseudo liberal, tudo em prol de uma causa que cada vez mais chego a conclusão que não é minha.

Depois de mais de vinte anos sendo enganados por pessoas que acreditávamos que seriam diferentes, que fariam diferente, não é justo ver tudo que está acontecendo com o nosso país, e enquanto milhares brigam diariamente nas redes sociais e em seus convívios pessoais eu, aqui no meu mundinho, penso que outra alternativa menos pior que a que se apresenta como opções poderemos ter no ano que vem? Espero que tenhamos um ano que vem.


Enfim, a pandemia ensinou a uma parte da população que ficar em casa talvez fosse uma alternativa (ou a única) para evitar, ou pelo menos diminuir o contágio pelo coronavírus, e nunca foi tão claro, pelo menos para mim, a importância de ficar em casa.

É por essa e por outras que pelo menos eu, que fiquei em casa durante toda a pandemia e mesmo assim acabei internado por conta dessa doença, hoje, no dia em que comemoramos o 199º da Independência do Brasil vou usar a mesma lógica adotada até agora, pelo meu bem e pelo bem do Brasil ficarei em casa.


Paulo Eduardo Ribeiro, do Canal Ponte Aérea, para CRIATIVOS!


 

O que rola na internet?



Rock na Cedro Rosa.



Wizkells, cantor nigeriano, fala de seu trabalho, na Cedro Rosa.


25 Horas de Boa Música



Artigo de Maria Paula Carvalho para a Revista CRIATIVOS!

Economia Criativa, uma maneira de salvar o Rio de Janeiro do caos.



Mart'nalia convida para o projeto 40 Anos do Clube do Samba - 4.0.



 

E tem muito mais!



25 Horas de Música Boa. Baixe e escute quando e quanto quiser.

 

Músicos, compositores, bandas, mídia, produtores de cinema, streaming, TV, publicidade e games em um único ambiente digital, para negócios de licenciamento.



Abra um perfil agora


Cedro Rosa cria plataforma digital que permite registro, distribuição e licenciamento de músicas no mundo inteiro. Todo mundo pode escutar músicas e podcasts de graça.

Tudo online!



A Cedro Rosa , produtora e distribuidora de conteúdos, com sedes no Rio de Janeiro, New York e Tokyo criou uma plataforma digital de administração e distribuição de músicas no mundo inteiro.


Para ter acesso, como artista, empresa ou simplesmente amante de música, basta abrir um perfil, apenas com nome e e-mail.


A plataforma digital funciona em 10 idiomas e conta com mais de 3 000 mil certificadas, prontas para serem licenciadas para sincronizações diversas em filmes, novelas, audiovisuais, games e publicidades.


Acompanhe nossas redes digitais. https://linktr.ee/cedrorosa


Compositores, bandas e artistas podem registrar suas musicas e fazer contratos de distribuição e licenciamento e empresas da midia como TVs, Radios, produtoras de cinema e conteudo em geral podem licenciar essas obras devidamente certificadas diretamente na plataforma.



Comments


+ Confira também

destaques

Essa Semana

bottom of page