top of page

MERCADO MUSICAL GLOBAL SUPERA US$ 40 BILHÕES PELA PRIMEIRA VEZ, DIZ ESTUDO em 06/11/2023

Matéria original UBC News, no link


Economista Will Page publica compilação anual com dados da música gravada, gestão coletiva e editoras — e vê recuperação total pós-pandemia





O economista britânico Will Page divulgou um estudo anual revelando um marco histórico na indústria musical em 2022, onde as receitas geradas por gravações, gestão coletiva e edição ultrapassaram US$ 40 bilhões pela primeira vez. Com um crescimento de 14% desde 2021, o valor total atingiu US$ 41,5 bilhões, solidificando a recuperação pós-pandemia.


Cedro Rosa Digital, música independente certificada


Page destacou o desempenho notável da gestão coletiva, que inclui sociedades de autores como a UBC, evidenciado por um gráfico no estudo. O crescimento mais significativo ocorreu nas organizações de gestão coletiva (CMOs), gerando US$ 11,4 bilhões em 2022, seguidas pelos selos (US$ 26 bilhões) e licenças diretas de editoras (US$ 4,1 bilhões).


Ele apontou que as arrecadações de direitos autorais aumentaram em um terço desde antes dos confinamentos de 2020, impulsionadas principalmente pela execução pública e usuários gerais. Page ressaltou que as receitas digitais dobraram desde 2019.




O economista enfatizou a ascensão da música no mercado do entretenimento, comparando-a favoravelmente a outros setores. Ele notou que o crescimento expressivo, especialmente na gestão coletiva, é uma tendência contínua, impulsionada pela reabertura dos espaços públicos, inflação e melhorias na identificação de conteúdo e licenciamento digital.


Page destacou um investimento crescente no mercado musical, exemplificado pelo anúncio do fundo Morgan Stanley Tactical Value de destinar US$ 700 milhões para adquirir catálogos musicais lucrativos em colaboração com a Kobalt.


Quanto aos ganhos dos compositores, Page mencionou um aumento percentual em relação às gravadoras, indicando um crescimento para 37% dos US$ 41,5 bilhões gerados em 2022, comparado aos 36% de anos anteriores.


O economista também discutiu o impacto do congelamento dos preços das assinaturas premium de streaming, sugerindo que a falta de alterações pode ter afetado os titulares de direitos autorais, enquanto comparava essa estabilidade com o aumento de preços do Netflix ao longo do tempo.



 

Cedro Rosa Digital: Pioneirismo na Promoção da Música Independente Global


Fundada por Tuninho Galante, a Cedro Rosa Digital tem se destacado como uma força impulsionadora no mundo da música independente. Sua atuação na certificação, licenciamento e distribuição de obras e gravações tem sido crucial para artistas independentes em escala internacional.



Galante, renomado na indústria musical, é reconhecido por sua visão vanguardista e conhecimento do mercado. A empresa não apenas distribui, mas também certifica e licencia obras, protegendo os direitos autorais e garantindo a justa remuneração dos artistas.


Utilizando tecnologia avançada, a Cedro Rosa Digital oferece uma plataforma robusta para os artistas lançarem suas obras, conectando-os a uma audiência global.


Música pop independente, na Cedro Rosa Digital / Spotify



Seu papel essencial na promoção da originalidade artística e na proteção dos interesses dos artistas independentes solidifica seu lugar como uma influência significativa no cenário musical contemporâneo, abrindo novos horizontes para a expressão autêntica e sustentável na música ao redor do mundo.

0 comentário

Comments


+ Confira também

destaques

Essa Semana

bottom of page