Mediocridade-Ostentação, Talibã-Sertanejo e VAR nas eleições 2022


urna eletrônica_tse

A mediocridade saiu do armário, a partir da eleição de Bolsonaro em 2018, no Brasil.


Forças ideológicas e pessoas que não eram captados em nenhum radar foram catapuldadas a cargos de ministros de estado, secretários ou diretores de autarquias, em especial nas áreas da educação, cultura, turismo e saúde mesmo sem a menor experiência e representatividade nesses segmentos.