MORTE

Léo Viana, para CRIATIVOS!



Léo Viana

Que 2020 foi um ano estranho, não resta dúvida nenhuma. A normalidade, por mais que já tivesse caído em desuso mais ou menos desde a eleição do Reagan, vinha tentando se impor novamente, mas a estranheza do ano em que não saímos de casa superou qualquer ciclone bomba (teve!) ou incêndio no Pantanal (também teve!!).


Uma das bizarrices do ano dos mascarados (e não só o time do Flamengo, se é que vocês me entendem...) foi a volta de práticas abandonadas desde há muito, como a negação da importância das vacinas e de práticas de profilaxia, como o isolamento social, consagradas desde a peste. Aquela mesma da idade média e que reapareceu no século XVII. Claro que nem todo mundo compactuou com as loucuras de uma parte da população, inflamada por lideranças que parecem saídas de livros de história.


Por falar no assunto...


Philippe Ariès (1914-1984) foi um grande jornalista e historiador francês, medievalista, que se notabilizou por estudar o comportamento humano em diferentes períodos. Ficou muito conhecido no Brasil por sua obra “A História Social da Criança e da Família” e também por haver organizado a coleção “A História da Vida Privada”, mas seu livro que mais f