top of page

EVENTOS, por Léo Viana.



Léo Viana

Todo mundo tem suas imagens preferidas ao longo do ano, dentre aquelas que se repetem indefectivelmente. Eu tenho as minhas, você tem as suas. E a mídia sabe fazer uso delas, apelando para a nossa familiaridade com aquelas cenas e nos dando mais do mesmo a cada ano, na certeza do nosso interesse.


Seja a Missa do Galo, em que o celebrante varia de tempos em tempos (eu vejo vez ou outra, mas desde o Paulo VI...), seja aquele engarrafamento da descida da serra em São Paulo, com todas aquelas pistas engarrafadas no pedágio e a viagem, de 100km, levando diversas horas pra se completar. A minha preferida já foi a comemoração do Flamengo do Zico, no tempo em que o time variava pouco de um ano pra outro e quase sempre comemorava algum título.


Há quem prefira aquela fuga desesperada da Flórida quando o furacão está chegando. O desfile militar da Praça Vermelha e até o desfile do exército da Coréia do Norte (que, eu desconfio, se repete toda semana...) também tem seus admiradores. O encerramento do carnaval da Bahia, com o arrastão dos trios, a maravilhosa saída do Galo da Madrugada, o Centro do Rio tomado pelo Bola Preta, Ipanema tomada pelo Simpatia É Quase Amor, O Cordão do Boitatá sacudindo a Praça XV, o desfile na Sapucaí. Grandes eventos carnavalescos adorados pela turma festeira, assim como as Paradas do Orgulho LGBT+ de São Paulo e Berlin, pra focar nas maiores.


Também se repetem, com ignominiosa frequência, o acendimento da árvore de Natal do Rockefeller Center, aqueles aviões sobrevoando Paris no 14 de julho, as imagens da Kaaba direto de Meca, com a multidão andando em volta, os fogos de Copacabana do Réveillon, as imagens de renas direto da Escandinávia em dezembro, a casa do Papai Noel, o Especial do Roberto Carlos, os cruzeiros marítimos no verão.


Quem é do Rio, como eu, espera com certa ansiedade as enchentes do verão, os engarrafamentos na Ponte e na BR101 no rumo da Região dos Lagos, a queda de barreiras na Rio-Santos, um ou outro fechamento da Linha Vermelha por tiroteios. As lojas de departamentos intransitáveis com aqueles ovos de Páscoa pendurados são tão previsíveis quanto o movimento na Saara na véspera do Dia das Mães. E dos Pais, das Crianças, Natal, Carnaval...


Deu até uma saudade do anúncio do “Quebra Nozes” no Theatro Municipal e da controversa árvore da Lagoa.

Outubro, em especial, sempre traz as indefectíveis cenas dos romeiros na Dutra e das grandes missas em Aparecida. O grandioso Círio de Nazaré ocorre simultaneamente. A imagem do pessoal em volta da corda pode mesmo ser reaproveitada de um ano pra outro, visto que é um fenômeno que se repete sempre com a mesma intensidade.


A chegada das baleias francas ao litoral sul e das jubartes a Abrolhos são eventos do calendário ecológico, assim como a chegada dos pinguins, seja no Rio Grande do Sul ou na Bahia. Variam as praias, mas eles sempre vêm. A desova das tartarugas do Projeto Tamar é um festejo anual já consagrado.


De qualquer modo, já faz muito tempo que, mesmo com a beleza cênica de efemérides como a aurora boreal, os campeonatos de surfe de ondas gigantes em Portugal, as pistas e os esquiadores nos Alpes, o meu evento anual preferido é a travessia do rio Mara, na Tanzânia, por gnus, zebras e gazelas com fome, atrás dos pastos verdes do Masai Mara ou do Seringueti, na ida ou na volta, conforme o caso. O gigantesco evento faz a felicidade instantânea dos crocodilos gigantes, que passam grande parte do ano esperando a chegada daqueles filés, o maior rodízio de carne do mundo. É um evento natural, os herbívoros em busca de comida e os grandes jacarés querendo comê-los, nada que não se reproduza diariamente no transporte urbano do Brasil, por exemplo.


Mas a verdade é que, vez ou outra dou uma balançada. O problema é que sou meio sistemático.

Lamento que a prisão de políticos cariocas, especialmente com cargo executivo, ainda não tenha data fixa no calendário.


Só compete em números com a prisão daqueles “homens de bem” que fizeram discursos por Deus e pela família na ocasião do golpe jurídico-parlamentar contra a Dilma.


Se fixarem datas, eu prometo abandonar os gnus e crocodilos.



 

Escute Bons Caminhos, a linda mensagem de Ano Novo.

Obra de Sérgio Barros, disponível para gravações e trilhas sonoras na Cedro Rosa.



Bons Caminhos, de Sergio Barros, by Cedro Rosa


 

Escute as Playlists de músicas especiais na Spotify e Youtube

Repertório Cedro Rosa, disponível para trilhas sonoras na Cedro Rosa.




Roda de Samba do Bip Bip / Spotify

Os Grandes Mestres do Samba / Spotify




Videos raros de nosso repertorio ao vivo / Youtube

Sambas para Cantar e Dançar / Youtube



 

Setores de música e audiovisual geram milhões de empregos e bilhões de dólares no mundo e são segmento estratégico de desenvolvimento


"O setor de conteúdo, é o petróleo da era digital", afirma Tuninho Galante, CEO da Cedro Rosa.


"O que move o conteúdo são a música e o audiovisual. Gigantes que migraram da área de tecnologia para o segmento de conteúdos, como Amazon, Apple e Google estão aí para comprovar", conclui Galante, acrescentando que a Globo acaba de anunciar o investimento de 250 milhões de dólares na GloboPlay.



Música para sincronização em conteúdos. Plataforma digital em 10 idiomas administra músicas para trilhas sonoras.


A Cedro Rosa que criou uma plataforma digital em 10 idiomas que administra direitos musicais de mais de 3000 mil obras e 200 autores.


"Hoje em dia muita gente se autoproduz, mas as obras musicais e as gravações precisam ter os certificados internacionais, chamados ISWC e ISRC, caso contrário não recebem royalties", afirma Tuninho Galante.


E pior, "as produtoras de video, cinema, publicidade e games não licenciam obras sem certificados", conclui Galante.


É muito fácil usar a plataforma. Totalmente gratis, basta apenas e-mail e nome para abrir um perfil. Músicos, cantores, bandas, jornalistas, empresas de midia, produtores de cinema, publicidade, Teatro, TV, etc podem







A indústria da midia e entretenimento como TVs, radios, produtoras de cinema, games, publicidade, streaming e conteudo em geral podem licenciar essas obras devidamente certificadas diretamente no site da Cedro Rosa.



 

Música para sincronização em conteúdos: Cedro Rosa.


 

Criativos! é uma revista digital de Arte, Cultura e Economia Criativa e conta com a colaboração de centenas de artistas, criadores, jornalistas e pensadores da realidade brasileira.

Editado pela Cedro Rosa.




0 comentário

Comments


+ Confira também

destaques

Essa Semana

bottom of page