Indústria Criativa: um olhar para a França, por Maria Paula Carvalho.



Maria Paula Carvalho, de Paris.

A Economia Criativa é bem difundida em países desenvolvidos, como a Inglaterra, os Estados Unidos e a França, onde o governo anunciou investimentos de mais de € 5 bilhões para mitigar as consequências da pandemia de Covid-19, através de um plano de resgate da cultura, lançado em maio. Porém, os efeitos da crise sanitária são sentidos até hoje.


Por medida de segurança, desde março, as salas de concerto mantiveram suas portas fechadas por muitos meses, enquanto museus, teatros e cinemas foram reabrindo lentamente ao público. Até que veio o segundo confinamento nacional, em 30 de outubro, mais um duro golpe no setor cultural francês, uma vez que todos os estabelecimentos considerados “não essenciais” foram obrigados a fechar novamente.