Glasgow, esperança ou extinção?


José Luiz Alquéres

A próxima reunião de chefes de estado da ONU, COP26, vai se realizar no início de novembro em Glasgow, e tratará de medidas vitais para o futuro da humanidade. Ela deverá sacramentar o compromisso de países trabalharem juntos para reduzir as emissões de gases de efeito estufa e, com isso, livrarem o mundo das catástrofes causadas pelas mudanças climáticas, já responsável pela extinção de milhares de espécies de seres vivos.

A história do mundo como uma sucessão de catástrofes naturais, tendo havido extinção localizadas de espécies, já foi objeto de teoria científica denominada "Catastrofismo", formulada por Georges Cuvier no início do século XIX. Teve grande impacto. Cuvier foi, por sinal, professor do paleontólogo Lund, pioneiro de estudos em Lagoa Santa, Minas Gerais. Dentre os fatores naturais responsáveis pelas catástrofes ele identificou asteroides que colidiram com a Terra, fenômenos tectônicos, glaciações e outros que provocaram a extinção de espécies