Duas guerras abomináveis


José Luiz Alqueres

Há mais de 2000 anos as terras onde hoje se localizam os países que recebem a designação genérica de países do Leste Europeu são palco de lutas territoriais sangrentas. Os romanos tentaram ampliar seu império conquistando-as, mas nunca tiveram segurança para além do limite definido pelos rios Reno e Danubio, o primeiro correndo para o norte o segundo para o Mar Negro ao sul.


Na Idade Média emergem os principes de Novgorod, de antecedentes nórdicos, que se compões com os tártaros da Golden Horn a leste (aos quais pagarão tributo) e com isso enfrentam e derrotam os cavaleiros teutônicos a oeste. com isso, Alexandre Nevski se torna o Grande Príncipe de Kiev de 1252 a 1263, santo da Igreja Ortodoxa, herói da Rússia. Ou seja era uma independencia meio relativa esta da Ucrânia (de Kiev, então), pois pagava tributo par os mongóis ( hoje russos) que o nomearam grande principe de kiev, em cujo papel arrecadava dos locais tributos para enviar ao canato mongol.. A moral da história é quase 1000 anos depois querer distinguir quem é quem etnicamente naquelas paragens é meio impossível. As diferenças são politicas e culturais, não étnicas.

Em tempos do Iluminismo, o grande filósofo alemão Immanuel Kant nasceu e passou toda sua vida em Koenigsberg, então limite da Prússia Oriental, hoje Kaliningrado, cidade russa, desde o fim da 2a. Guerra Mundial.