top of page

Casa de Cultura do Parque: Ester Grinspum, roda de conversa com Cida Bento e show de Lílian Rocha


Escutura_casa de cultura do Parque_2 dezembro

Abertura de Ester Grinspum, roda de conversa com Cida Bento e show de Lílian Rocha No sábado, dia 2 de dezembro, Casa de Cultura do Parque recebe Ester Grinspum, desenhista e escultora recifense, para a abertura de uma obra inédita: “A Cena”.

Com curadoria de Claudio Cretti, “A Cena” foi idealizada para o espaço expositivo externo da Casa e fica em cartaz até 7 de abril de 2024.


Ester Grinspum é uma das artistas que participou da marcante exposição coletiva “Como Vai Você, Geração 80?”, realizada em 1984, na Escola de Artes do Parque do Lage, no Rio de Janeiro, mostra que cunhou o termo Geração 80 e abriu caminhos para a retomada da arte brasileira após a ditadura militar. Ao combinar a escultura e o desenho, a artista constrói grandes estruturas com a linearidade orgânica dos traçados. Considera-se tanto desenhista quanto escultora, uma vez que pensa suas esculturas desenhando-as.


Na mesma tarde, Cida Bento estará presente na Casa para discutir o pacto da branquitude no ofício de trabalhadoras e trabalhadores das artes, considerando seu impacto na representatividade e na representação da cultura brasileira. Autora do prestigiado livro “O pacto da branquitude” (Companhia das Letras), Cida Bento foi eleita em 2015 pela revista britânica The Economist como uma das 50 pessoas mais influentes do mundo no campo da Diversidade. O encontro acontecerá às 16h e será aberto para todo o público.

Em seguida, às 17h, vamos contar com a apresentação musical da cantora, compositora, bailarina e performer Lílian Rocha, em seu espetáculo Lilith do Nilo. Este projeto parte de uma pesquisa sobre as musicalidades do Oeste Africano, da região do Vale do Rio Zambeze e dos sotaques musicais tradicionais brasileiros, principalmente da região de Minas Gerais, evidenciando os diálogos da diáspora africana do Brasil. Todas as atividades da Casa de Cultura do Parque são gratuitas. Av. Prof. Fonseca Rodrigues, 1300 - Alto de Pinheiros, São Paulo.


 

Artes e Instituições Artísticas Impulsionam Comunidades e Economia Criativa


No tecido vital das comunidades, as artes e as instituições culturais desempenham um papel vital, moldando identidades e impulsionando o desenvolvimento. A Economia Criativa e a Cultura emergem como pilares essenciais, não apenas como catalisadores de expressão e identidade, mas também como motores econômicos e sociais.




A interseção entre arte e economia se manifesta de forma poderosa na plataforma inovadora da Cedro Rosa Digital. Esta plataforma, ao certificar obras e gravações, não só viabiliza a identificação de músicas, mas também garante o recebimento justo de royalties e direitos autorais para os artistas. Essa iniciativa não apenas fortalece a sustentabilidade financeira dos criadores, mas também protege suas obras de uso não autorizado.




A Cedro Rosa Digital não se limita a beneficiar os artistas. Ela atua como um facilitador ético para empresas de mídia, streaming e publicidade, oferecendo acesso legal às músicas, pagando um valor justo pelo seu uso. Essa abordagem ética e transparente nutre um ecossistema em que a criatividade floresce, impulsionando empregos e renda, enquanto reforça o sentido de pertencimento nas comunidades.




Em um cenário em que a valorização da arte é central para a identidade cultural e econômica, a Cedro Rosa Digital representa um avanço crucial, conectando criadores, consumidores e indústrias de forma ética e sustentável.

Comments


+ Confira também

destaques

Essa Semana

bottom of page