CARMINHA, um conto erótico.

Helio Ferraz, para Criativos - CR Zine.


“Se Whitman a cantou – observei – é porque a desejava e não aconteceu. O poema ganha se adivinhamos que é a manifestação de um anseio, não a história de um fato.”

( Jorge Luiz Borges)

Sexta Feira – 14,45 hs

Na primeira vez em que a vi, meu olhar logo se deteve sobre seu abdômen descoberto cor de chocolate com aquele veio de pelos, mais largo acima de sua calça e afilando-se em direção ao umbigo. Senti um frio no estômago e um súbito despertar dos sentidos. Foi como um flash fotográfico ou um repentino slow motion de cinema, tendo como fundo musical, não por acaso, a “Habanera”(#). Levantei a vista que passou rapidamente pelos seios cobertos com o bustier em paetês prateados antes de chegar, já atordoado, ao seu olhar matreiro, dengoso, bem situado no rosto de traço