As tragédias e a escola de samba


Uma vez por ano, na Grécia Clássica, havia um festival de teatro para o qual concorriam os grandes autores. Eles eram obrigados a apresentar uma trilogia de tragédias - infelizmente a única sobrevivente é a Oresteia de Ésquilo - e uma comédia. As comédias escritas pelos grandes trágicos não sobreviveram, mas algumas de Aristófanes , do qual tampouco se conhece tragédia, chegaram a nós, entre as quais a fantástica As Nuvens ,onde ele goza Sócrates, Platão e companhia;

As peças de teatro, notadamente as tragédias, tinham um papel educativo. Eram ambientadas em geral num tempo razoavelmente remoto - cerca de 1200 AEC - em relação à época que eram representadas. Este deslocamento temporal permitia expor situações do passado em toda a sua crueza. Mas na realidade o que elas expunham eram situações do então presente, disfarçadamente, evitando a censura e especialmente as retaliações. Eram tão bem estruturadas na descrição psicológica dos personagens e suas motivações, que até hoje são tomadas como exemplos na galeria de personalidades bem conhecidas na psicanálise. Hoje o nosso festival anual chama-se desfile de escolas de samba . Os sambas enredo e os desfiles têm cada vez mais ''mandado recado " para a platéia e para o mundo, sobre alguns temas controversos da nossa vida ou da nossa história. E não se precisa mais o disfarce do passado para apontar a mazela do presente.

Veja essa conversa sobre música e cultura, com Roberto Menescal, Ana de Hollanda

e Glória Braga.