Artistas, compositores e editores musicais pressionam o Google por melhores royalties no Youtube

Ao mesmo tempo, 48 estados americanos processam o Youtube e o Facebook



Ainda que o YouTube continue a liderar o mercado global de streaming de música com 47% de penetração de usuários ativos por semana, seguido pelo Spotify fica atrás em segundo lugar, com 29%, a plataforma está sendo pressionada em duas frentes importantes: artistas/editores/gravadoras, lutam por melhores pagamentos de royalties e governos da Europa e Estados Unidos, movem por ações antitruste.


Importante esclarecer uma grande diferença entre Youtube e Spotify, além da massiva utilização de videos, no Youtube: a maneira de se receber e processar conteúdo.


Enquanto no Spotify e em outras plataformas de streaming como Amazon Music, Tidal, Deezer, etc, os conteúdos musicais sejam postados pelas gravadoras e artistas, no Youtube a maior parte dos conteúdos é postada pelos usuário, em um conceito chamado UGC - User Generated Concent - ou Conteúdo Gerado pelo Usuário.