Alfredinho, página feliz na nossa história


Alfredinho do Bip Bip


A próxima segunda-feira, dia 13, não é uma segunda-feira qualquer. Nessa data, há exatamente 53 anos, 13 de dezembro de 1968, ocorreram dois fatos dignos de serem lembrados. Lembrados pelo bem e pelo mal. Pelo o mal, por ser uma passagem que já pode estar desbotada na memória das nossas novas gerações, para que não esqueçam, e, para que jamais se repita. Nesse dia foi decretado pelo governo militar o Ato Institucional nº 5. O famigerado AI-5, que fechou o Congresso Nacional, cassou 181 parlamentares, calou o Judiciário, instituiu a censura nas redações dos jornais e, segundo o Observatório da Imprensa, vetou 500 filmes, 450 peças teatrais, 200 livros, 500 canções e foi a partir dele, que as barbaridades que ocorriam nos porões da ditadura se multiplicaram e que artistas foram perseguidos, exilados, sem que a maioria do povo ficasse sabendo. Pelo bem, é que exatamente neste dia, era fundado em Copacabana, o lendário Bip-Bip.