Acelerada de desarrumação nas tarifas de eletricidade


José Luiz Alquéres

Polimata Os usuários de ônibus no Rio de Janeiro sabem bem o que é uma freada de arrumação. Os consumidores de energia elétrica irão aprender o seu oposto. Há poucos dias dirigentes da Agencia Nacional de Energia Elétrica , numa audiência provocada pelos deputados do Ceará, visando adiar o reajuste das tarifas de eletricidade para este ano, no Ceará. Ao tomar conhecimento do tamanho do reajuste para o conjunto de empresas, 37 bilhôes de reais, a Câmara logo aprovou suspender o aumento , neste ano eleitoreiro, para todo Brasil. Como são despesas efetivas, comprovadas, das empresas, a aprovação de algo assim desestabiliza totalmente as empresas de eletricidade. Mas serão elas as culpadas ? No afã de privatizar a Eletrobras, o Executivo enguliu um jabuti plantado no seu projeto de lei, para beneficiar uns poucos interessados em usinas termelétricas a gás no Nordeste. Quem leu no dia 25 de abril a coluna de Míriam Leitão no O Globo, trazendo várias ponderações de Elena Landau, deve ter percebido algo estranho na questão da privatização da Eletrobrás. A privatização que é uma peça mercadológica para um governo não liberal assim parecer, em funçao do dito jabuti ( termo que designa um ppenduricalho enfiado numa medida provisoria por uma emenda parlamentar), cria alem de um investimento adicional de 70 bi uma despesa anual de combustivel adicional de 50 bi. Ora a remuneração dos investimento ( dez por cento dos 70 bi) acrescida da despesa dos combustiveis , elevará a tarifa, quando se etivar dentro de 3 anos , de mais 57 bi por ano.