top of page

A bolsa não latiu pra não constranger o Maracanã



(Semana que vem falo alguma coisa do Carnaval. Carnaval, que por sinal, é uma das minhas maiores paixões e não me dá muito tempo de pensar ou de fazer outra coisa, que não seja correr atrás de algum rabo de bloco, essas coisas. Então segue um texto publicado no meu livro de crônicas ‘Fala Botequim’).


Eu tenho simpatia por bares e botecos. Mania carioca que não faço a mínima questão de perder. E há casos em que a designação desses nobres lugares tem muito mais a ver com o estado de espírito dos frequentadores do que propriamente com o que consta no CNPJ.

Na rodoviária velha de Resende, lá na ponta, colado no bar do Zé Maluco, tem um armarinho surtido de mercadorias, o ‘Ponto Mágico’, que é da senhora do Zé, a Verônica. Na terça-feira eu passava por ali quando vi o Maracanã (pelo nome de batismo ninguém conhece o sujeito). Ele estava tomando cerveja no balcão do armarinho com o Ataliba. "Mas o bar é ao lado", eu disse e ele me convidou para acompanhá-lo. Como não sou de negar pedido de amigos... "A essa hora isso aqui também vira bar", disse a Verônica.


Balcão de boa altura, mas de atmosfera diferente. Olhando através do vidro viam-se esmaltes, batons, lápis de sobrancelha, etc. Cenário incomum para um boteco. E cerveja vai, cerveja vem, chega o Domingão (nove anos na Justiça Federal). Papo vai, papo vem, a chuva que caía dá uma estiada e pede-se a saideira. É quando Maracanã, que usa óculos fundo-de-garrafa, vê algo no chão, próximo a ele e pergunta à Verônica:

- A sua bolsa vai ficar aqui no chão?

Todos olham e a bolsa dá uma mexida, se coça, abana o rabo e só não late para não deixar o Maracanã em situação constrangedora. A gargalhada foi geral. Gafes de botequim. Mesmo que seja em um armarinho.


“Anoiteceu, outra vez vou sair Andar por andar sem nada esperar Sem ter pra onde ir Vou caminhar por aí a cantar Tentando acalmar as tristezas Por onde eu passar

A minha vida boêmia de bar em bar É o meu amor sem paz Por um amor vulgar Que me abandonou Chorando os meus ais Me deixando também por maldade Saudades demais E eu vou levando minh'alma aflita À noite a cidade é tão bonita Do Lamas ao Capela e na Mem de Sá Passo no bar Luís E no Amarelinho é que eu vou terminar

Anoiteceu, outra vez vou sair Andar por andar sem nada esperar Sem ter pra onde ir Vou caminhar por aí a cantar Tentando acalmar as tristezas Por onde eu passar

A minha vida boêmia de bar em bar É o meu amor sem paz Por um amor vulgar Que me abandonou Chorando os meus ais Me deixando também por maldade Saudades demais E eu vou levando minh'alma aflita À noite a cidade é tão bonita Do Lamas ao Capela e na Mem de Sá Passo no bar Luís

E no Amarelinho é que eu vou terminar” (Bares da Cidade/João Nogueira-Paulo Cesar Pinheiro)


 

Cultura


Samba Bom



 

Indústria da Música



A música é uma indústria que gera empregos, trabalho, cultura e é uma importante fonte de receitas e divisas para o país. De acordo com dados da Associação Brasileira de Produtores de Disco (ABPD), a música move mais de R$ 8 bilhões por ano no Brasil, envolvendo atividades como produção, gravação, distribuição e venda de música.

O setor musical gera empregos diretos e indiretos, incluindo músicos, compositores, produtores, técnicos de som, designers gráficos, entre outros. Além disso, a música também é uma importante fonte de renda para os artistas e criativos envolvidos, alavancando a economia local e nacional.



Como participar desta Indústria?


A música também é uma importante forma de expressão cultural, e é reconhecida em todo o mundo como um dos principais setores culturais. Além disso, a música também é uma importante forma de exportação, gerando divisas para o país através da venda de música e apresentações internacionais.

A Cedro Rosa é uma organização importante que ajuda a cadeia econômica da música ao administrar e proteger os direitos autorais de músicos e compositores no Brasil. Ao fazer isso, a Cedro Rosa garante que os autores recebam pela exploração de suas obras, fortalecendo a economia e valorizando o trabalho dos profissionais envolvidos.


Como funciona?

Além disso, a Cedro Rosa também oferece diversas formas de licenciamento de música, permitindo que produtores de filmes, vídeos e programas de TV possam utilizar músicas certificadas de maneira legal e remunerar adequadamente os autores.


 

SAMBA


Comments


+ Confira também

destaques

Essa Semana

bottom of page