top of page

Educação / Ler, um hábito que custa caro e demanda tempo livre. Talvez não.

Paulo Eduardo Ribeiro, do Canal Ponte Aérea, para CRIATIVOS!





A leitura é um hábito que se adquire desde cedo, pelo menos comigo foi assim.


Me lembro dos domingos na casa dos meus pais na longínqua década de 1970, onde três coisas eram sagradas: levantar cedo para ir a missa, lavar o Fuscão 1972 do meu pai com balde e mangueira e deitar na rede para ler, ou melhor, para ele ler.


Na verdade minha lembrança mais antiga sobre leitura é dele lendo revistas em quadrinhos para mim, talvez por isso quando eu fiquei maior me interessei tanto por esse tipo de publicação, principalmente as revistas do Tio Patinhas e da Turma da Mônica.


Meu pai estudou pouco, mas adorava ler. Cansei de ouvi-lo dizendo “quem lê escreve melhor”, mas é claro que só fui me dar conta disso muito tempo depois.

Mesmo sendo um hábito relativamente caro naquela época, meu pai fazia questão de comprar todo mês uns dois livros do Círculo do Livro, e ele lia todos mesmo tendo que desembolsar um valor que talvez fosse desnecessário ou supérfluo aos olhos de outras pessoas. Foi assim que tomei gosto pela coisa, ele lia, e eu lia depois dele.


Eu gosto de contar essa história principalmente quando meus alunos dizem que a leitura é um hábito caro, e eles não estão totalmente errados se levarmos em conta o preço de um livro no Brasil.

Se fizermos uma conta simples e aleatória, usando o valor médio de um livro por volta de R$50,00, ao final de um ano uma pessoa terá que desembolsar R$600,00 apenas com livros, se imaginarmos que comprará apenas um por mês.


Além do valor elevado dos livros tem também o fator tempo, que muitas vezes é usado como justificativa para não ler.

Experimente pedir para um aluno de graduação ler um livro para a realização de algum trabalho acadêmico. Custo e tempo ele vai dizer, na verdade a falta de tempo.

Mas não estamos mais no século XX, na longínqua década de 1970, estamos no século XXI, era da tecnologia e das facilidades, não se justifica mais dizer que a leitura é um hábito caro e que não temos tempo para desfrutar de um bom livro.


Qualquer pessoa com internet pode acessar, por exemplo, a Biblioteca Virtual do “Portal Domínio Público” (http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/PesquisaObraForm.jsp) e ler (ou baixar) obras de escritores como Machado e Assis, Fernando Pessoa, Dante Alighieri , além de uma infinidade de outras possibilidades que vão desde os clássicos citados até livros de Administração, Direito ou Economia, e com um detalhe importantíssimo, totalmente de graça.


Algumas pessoas dirão que preferem o livro físico, e que ler pelo computador ou pelo celular não e algo que os deixem confortáveis. Bom, eu tenho muita dificuldade para ler no celular, por exemplo, mas aprendi uma coisa nos últimos tempos: somos nós que temos que nos adaptar as mudanças, e não o contrário.

Mas estamos na era da tecnologia não é mesmo?


Claro que alguém iria pensar em uma alternativa para resolver o problema das pessoas que sentem dificuldades para ler em aparelhos eletrônicos, e entra em cena os audiobooks, também conhecidos como “livro em áudio” que nada mais é do que aplicativos para “ouvir” livros.

Existem aplicativos bem interessantes disponíveis para os sistemas operacionais Android e para ioS, basta uma procura rápida na internet e você encontrará opções bastante interessantes, com uma variedade de possibilidades (áudio em vários idiomas, obras nacionais, clássicos, etc.) e alguns totalmente grátis.


 

Ouça a música Hermosa, de Marinho Boffa.

Repertório Cedro Rosa, disponível para trilhas sonoras diversas.

 

Estou “ouvindo” meu primeiro livro, Memórias Póstumas de Brás Cubas de Machado de Assis, e não tenho ainda uma opinião formada a respeito, prefiro finalizar a experiência para poder dizer com propriedade o que achei, prometo que conto tudo aqui pra vocês em breve.

Ah, ia me esquecendo...

No caso dos audiobooks o fator tempo pode ser um aliado, pense nas horas que passamos no trânsito ou nos transportes coletivos e o quanto a gente pode se distrair “ouvindo” um livro.


Pra finalizar se você, assim como eu, acha que livro é um investimento e não um custo e tem como bancar esse hábito, pois prefere a sensação de ter o livro em suas mãos, vá em frente, não importa se um é um por mês, por bimestre ou trimestre, leia.

Agora se por outro lado você gosta de ler, mas não tem como investir em livros nesse momento, não perca mais tempo, existem ótimas formas de cultivar a leitura sem gastar nada, basta você querer.


Mas e ai, você ainda acha que o hábito da leitura custa caro e demanda tempo livre?


Meu finado pai em sua sabedoria adquirida na escola da vida talvez dissesse: “Leia, nem que for bula de remédio”.


 

Escute as Playlists de músicas especiais na Spotify e Youtube

Repertório Cedro Rosa, disponível para trilhas sonoras na Cedro Rosa.




Roda de Samba do Bip Bip / Spotify

Os Grandes Mestres do Samba / Spotify




Videos raros de nosso repertorio ao vivo / Youtube

Sambas para Cantar e Dançar / Youtube



 

Setores de música e audiovisual geram milhões de empregos e bilhões de dólares no mundo e são segmento estratégico de desenvolvimento da Indústria criativa.


"O setor de conteúdo, é o petróleo da era digital", afirma Tuninho Galante, CEO da Cedro Rosa.


"O que move o conteúdo são a música e o audiovisual. Gigantes que migraram da área de tecnologia para o segmento de conteúdos, como Amazon, Apple e Google estão aí para comprovar", conclui Galante, acrescentando que a Globo acaba de anunciar o investimento de 250 milhões de dólares na GloboPlay.



Plataforma digital brasileira 10 linguas lança serviço de administração de direito autoral, distribuição e licenciamentos de músicas.


A Cedro Rosa riou uma plataforma digital em 10 idiomas que administra direitos musicais de mais de 3 000 mil obras e 200 autores.


"Hoje em dia muita gente se autoproduz, mas as obras musicais e as gravações precisam ter os certificados internacionais, chamados ISWC e ISRC, caso contrário não recebem royalties", afirma Tuninho Galante.


E pior, "as produtoras de video, cinema, publicidade e games não licenciam obras sem certificados", conclui Galante.


A demanda é imensa, produtores pequenos, medios e grandes de todo mundo sempre estão procurando músicas, mas elas precisam estar "copyrighted", ou seja, envelopada para serem licenciadas para as produções, sejam de um video no youtube, um comercial ou uma produção mais cuidada.


O acesso á plataforma da Cedro Rosa é gratuito, qualquer um pode abrir um perfil, apenas com nome e email.




A indústria da midia e entretenimento como TVs, radios, produtoras de cinema, games, publicidade, streaming e conteudo em geral podem licenciar essas obras devidamente certificadas diretamente no site da Cedro Rosa.





É muito fácil usar a plataforma. Totalmente gratis, basta apenas e-mail e nome para abrir um perfil. Músicos, cantores, bandas, jornalistas, empresas de midia, produtores de cinema, publicidade, Teatro, TV, etc podem




Música para sincronização em conteúdos: Cedro Rosa.



 

Criativos! é uma revista digital de Arte, Cultura e Economia Criativa e conta com a colaboração de centenas de artistas, criadores, jornalistas e pensadores da realidade brasileira.

Editado pela Cedro Rosa.




0 comentário

Comments


+ Confira também

destaques

Essa Semana

bottom of page